Notícias

Sudeste deve fortalecer aliança entre as lutas do campo e da cidade

Por Fase
De 16 a 17 de setembro, movimentos sociais, organizações, instituições de defesa de direitos de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo e Rio de Janeiro estiveram reunidos no Hotel Assunção, na capital Rio de Janeiro, para o Encontro Regional de Mudanças Climáticas do Sudeste. No segundo dia, as atividades iniciaram com mística seguida pela exibição de vídeos-denúncia que registram experiências das lutas que se contrapõem ao modelo de desenvolvimento capitalista na região.

Debates nos grupos de trabalho foram destaque do 2º dia do Encontro

Debate no segundo dia do Encontro –  A partir de temas unificadores das lutas, identificados nos debates do dia anterior, os grupos de trabalho se organizaram em três: Recursos hídricos; Mineração, indústria e petróleo; e Defesa dos Territórios. O sol, a articulação campo/cidade, a agricultura, o fortalecimento dos laços de solidariedade e as políticas públicas foram tratadas como temas transversais aos três grupos.

O momento foi de troca de experiências e discussões sobre quais as ações e os desafios para enfrentamento das mudanças climáticas na região Sudeste. Houve consenso entre os grupos de trabalho de que o Fórum do Sudeste deverá fortalecer a aliança entre as lutas do campo e da cidade, já que a região é predominantemente urbana e o modo de vida nas cidades quebrou a relação do homem com a natureza.
Outro ponto de convergência foi o de que a luta contra as mudanças climáticas pode ganhar maior visibilidade a partir do fortalecimento da formação popular e de ações de base. Por isso, todos apontaram a necessidade de reforçar essas iniciativas, especialmente aquelas voltadas para jovens, mulheres e negros, que sofrem mais com as injustiças ambientais e com as consequências das mudanças climáticas.

  “O povo que planta e pesca

Canta, dança, faz festa no seu pedaço de chão

Abastece a sua mesa,

Agradece a natureza em qualquer religião.

Seu lugar seu oratório,

Tirar o seu território é calar sua tradição”

Luis Pereque (para a Campanha Preservar é Resistir – em Defesa dos Territórios Tradicionais – Fórum de Comunidades Tradicionais Angra-Paraty-Ubatuba)

 
Fonte: FASE/Caroline Rodrigues
 
Lei mais em: http://fmclimaticas.org.br/
 

Autor

Martha Moreira

Tradução »