Notícias

Em nova etapa, Incid fará Mapas da Cidadania

Rio de Janeiro, 16 de março de 2015
Por Paula Brito

Equipe do Incid em oficina de produção dos Mapas de Cidadania
Equipe do Incid em oficina de produção dos Mapas de Cidadania

O projeto Incid está em nova fase. Desde o início de 2015 iniciou o processo de construção de Mapas da Cidadania.Trata-se de uma forma visual de construir indicadores para medir a efetividade da cidadania nos 14 municípios da área de atuação do Incid (AAI) e revelar desigualdades e violações de direitos de cidadania. Esta metodologia se prestará a dar visibilidade ao estado dos direitos de cidadania a nível intra municipal, a partir de indicadores já construídos no âmbito do projeto. O caminho escolhido tem como base o uso de ferramentas e procedimentos dos Sistemas de Informações Geográficas (SIGs), com o fim de precisar os dados que estão sendo coletados em campo nas projeções cartográficas. Esse processo se dará à luz de metodologias de mapeamento participativo.
Para iniciar o processo de construção dos Mapas, foram utilizadas diversas fontes de informação espacial – as obtidas através do sensoriamento remoto (satélites, fotografias aéreas, radares, entre outros); dados fornecidos por órgãos oficiais (limites territoriais, unidades de conservação, dados socioeconômicos bases cartográficas em geral, etc.); e dados obtidos em campo por meio de aparelhos GPS (Sistema de Posicionamento Global).
Os direitos de cidadania a serem mapeados foram definidos no diálogo com a cidadania ativa do território, levando em consideração as atividades realizadas junto à cidadania ativa local, na primeira etapa e no retorno das ações. Quatro direitos serão mapeados de modo participativo. São eles: Direito à Saúde, Direito à Educação, Direito à Cultura, Direito à Vida Segura das Mulheres, Direito à Justiça Ambiental. O Direito à Participação e Ação Cidadã e o Direito a Mobilidade serão comuns aos 14 municípios da AAI.
A relação com as organizações e espaços da cidadania ativa tem sido fundamental para realização deste objetivo do projeto. É importante destacar que a construção destes Mapas é um movimento inicial, que garante a apropriação da metodologia de construção. Garantida esta apropriação o objetivo é que a cidadania ativa atualize as informações e produza novos mapas que contribuam para olhar ao estado dos direitos nos municípios e em todo território.
“No Sistema Incid, os Mapas da Cidadania têm o diferencial de oferecer um olhar para dentro dos municípios analisados. O Sistema como um todo possibilita uma análise comparativa dos 14 municípios da AAI e os Mapas são indicadores que permitem avaliar como anda o estado dos direitos e as desigualdades intramunicipais. Outro ponto relevante é que, na etapa atual do projeto, a construção de modo participativo, visa garantir o olhar da cidadania local no resultado final. Assim, podemos ter num mesmo indicador dados dos órgãos oficiais – que em alguns casos têm o limite de fornecer dados apenas a nível municipal, sem chegar a revelar o que ocorre nos distritos e bairros dos municípios – e a percepção que os/as cidadãos/ãs têm do cotidiano. O que, muitas vezes, pode contrastar com o que é divulgado oficialmente. Talvez por isso, no processo de construção dos ‘Incidinhos’, os indicadores intramunicipais, esta seja uma ferramenta que tem grande aderência junto aos/às participantes das Redes de Cidadania”, disse a pesquisadora do Incid, Bianca Arruda.
O Incid tem o papel de estimular a reflexão e o protagonismo, por meio de reuniões específicas onde se discutem os dados e incluem novas informações de interesse da cidadania ativa. Esta produção será disponibilizada em uma plataforma digital, que está sendo criada para abrigar os mapas construídos participativamente. A plataforma é mais uma ferramenta para dar legitimidade à construção coletiva dos dados, posteriormente realizado de maneira autônoma pela rede de Cidadania Ativa Local. Trata-se de uma espaço online, de acesso coletivo, e utilizado como instrumento qualificador das lutas cidadãs.

Autor

Martha Moreira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tradução »