Do Iets
A preocupação era geral. O encontro terminaria a tempo de acompanhar emoções finais da novela “Amor à vida”? Apesar do temor, mais de 30 moradores deixaram de suspirar pela ficção para sonhar com uma realidade possível ao comparecer a “Oficina dos Sonhos”, realizada, desta vez, no Bloco III do Conjunto Habitacional Valdariosa, em Queimados, onde o IETS desenvolve o projeto #MaisVAldariosa, em parceria com o Ibase e a MPU. Como as duas oficinas anteriores, a atividade desta terça-feira, 28 de janeiro, será um ponto de partida para discussões sobre a agenda de ações locais a ser implantada pelo projeto #MaisValdariosa até 2015.
Helena Fernandes era uma das participantes mais entusiasmadas. Deficiente física, ela  é moradora de um dos apartamentos do 1º andar do bloco. Convidada a relatar por escrito seus sonhos, individuais ou coletivos, a senhora de 63 anos recordou o sofrimento vivido em dezembro do ano passado, quando fortes chuvas inundaram o conjunto. Ela, que divida o apartamento com o irmão também deficiente , contou com a ajuda da vizinha para escrever seu desejo. E no papel foi impresso um sentimento bastante coletivo.

Moradores se dividem em grupo para realizar uma das atividades da Oficina


– Não posso pensar só em mim. Acredito que todos aqui gostariam de maior atenção com os problemas no esgoto. Meu sonho é um saneamento básico que funcione e não nos deixe alagados.
Dona Helena não esqueceu que naquele momento, sem condições físicas de conter o alagamento, foi com a ajuda dos vizinhos que ela contou.
Os resultados da atividade são compartilhados

Outros desejos, no entanto, já haviam se tornado realidade, comentou dona Luiza Batalha. Ex-moradora do bairro Cabuçu, na Baixada Fluminense e membro do movimento da reforma agrária, ela divide um dos apartamentos com mais 6 pessoas, entre filhos e netos.

Assim como os desejos de dona Helena, os dos demais participantes da atividade, também realizada nos blocos I e II, serão apresentados num relatório para Caixa Econômica Federal. Segundo a assistente social Tábata Lugão, pesquisadora do Ibase que realiza as oficinas, o saldo das oficinas foi positivo. Entre as primeiras impressões, a pesquisadora destacou um forte senso de coletividade entre os moradores.
– Eles são a potência para resolver os próprios problemas e o mais importante, eles têm consciência disso.
A consciência parece ser mesmo coletiva e não tem idade. Danilo dos Santos tem apenas 11 anos. Pela metodologia da oficina, crianças não podem participar. Mas o estudante que cursa a 7ª série fez questão de comparecer.
– Vim representando minha mãe que está no trabalho. Ela é moradora, eu também sou e estou fazendo a minha parte – justificou Danilo.
O menino já tem sonhos de gente grande: “quero ser oncologista”, diz.  Danilo mora com a mãe, o padrasto e o irmão e, mesmo sem direito a voz, garante que sabe das realizações de que seu bloco precisa.
– Aqui não tem como se fazer as coisas, sozinhos. Temos que nos juntar pra pensar no que está certo e no que está errado – concluiu.

O #MaisValdariosa é uma experiência piloto de construção, em parceria com a comunidade, de alternativas de sustentabilidade e governança local nessa unidade do programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal. O projeto é uma iniciativa da Caixa Econômica Federal executada pelo Iets, MPU e Ibase, em gestão compartilhada. A iniciativa tem o apoio da prefeitura de Queimados e se estende também à vizinhança do condomínio.

Autor

Martha Moreira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tradução »