Durante quatro anos, o Grupo Pedras Negras (GPN) –  composto por dirigentes de nove entidades, entre elas, o Ibase – se reuniu periodicamente com um único objetivo: compartilhar sonhos, buscas, análises e dúvidas diante dos novos desafios, das responsabilidades e das possibilidades das organizações de cidadania ativa. A missão do grupo era a de contribuir na construção de sociedades mais justas, igualitárias e sustentáveis. O GPN foi criado a partir de uma demanda que a Oxfam Novib fez ao Ibase. Foram convidados representantes de organizações como Ação Educativa, Centro de Cultura Luiz Freire, Centro de Educação Imagem Popular (Cecip), Fase, Geledés Instituto da Mulher Negra, Instituto de Estudos Socioeconomicos (Inesc), Instituto Pólis, SOS Corpo – Instituto Feminista para a Democracia.
Este mês, o Ibase lança a publicação eletrônica “Grupo Pedras Negras – Um debate sobre o futuro das organizações de cidadania ativa” (clique aqui para baixar o arquivo).
– É importante preservar a memória deste encontro, para e o que foi discutido e pensado durante estes anos para que este debate não se perca. E, ainda, possa ser acessado por todos – diz Cândido Grzybowski, diretor do Ibase.

Autor

Martha Moreira

Comentários 5

  1. Paulo José
    17 de janeiro de 2013 Responder

    O texto deve ser muito valioso. Porém, é meio complicado baixar, cai sempre em aplicativos em inglês. Não falo em essa lingua, nem a maioria de nós, certamente.
    abraços, Paulo

  2. Genaro Ieno
    18 de janeiro de 2013 Responder

    Colaboro no Memorial das Ligas Camponesas, uma entidade existente no município de Sapé,baseada na casa onde João Pedro Teixeira (“Cabra Marcado para Morrer”)e sua esposa Elizabeth Teixeira viveram com sua família. A entidade visa colaborar com o desenvolvimento da comunidade de Barra de Antas onde fica o Memorial. Por isso, a existência do Grupo Pedras Negras nos é muito estimulante.

  3. celso francisco soares
    18 de janeiro de 2013 Responder

    boa tarde a coordenação lendo a matéria das pedras negras sou militante e voluntario pela educafro que prepara alunos/as pra faculdades públicas de baixa renda e por não fomos chamados para o dialogo.

  4. Equipe Ibase
    23 de janeiro de 2013 Responder

    Oi Paulo José, o arquivo está lá para ser baixado, acabamos de conferir. Espere carregar completamente que a capa do livro aparecerá. Se o problema persistir no seu computador, nos avise, ok?

  5. Maria de Lourdes (Maroca)
    25 de janeiro de 2013 Responder

    Participo da coordenação de um grupo de pesquisa e extensão da UFLA/MG chamado Gênero e Diversidade em Movimento – Gedim e não consegui salvar o arquivo que com certeza, será muito bom para nossas atividades.Eu abri mas não consegui salvar.Desde já parabéns pelo belo trabalho e bonita publicaçào que pude ver numa “passada super rápida de olhos”. Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tradução »