A história de Betinho agora é reconhecida pela Unesco como parte importante da memória mundial. O arquivo Herbert de Souza, do CPDOC da Fundação Getúlio Vargas (FGV), foi indicado para o Registro Nacional do Programa Memória do Mundo da Unesco. A decisão foi tomada pelo Comitê Nacional do Brasil, órgão ligado ao programa da Unesco e a cerimônia de diplomação será realizada no dia 4 de dezembro.
A nominação do arquivo de Betinho para esse programa mostra a importância do trabalho do sociólgo e um dos fundadores do Ibase (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas) para a sociedade brasileira. A seleção implica no reconhecimento do material arquivado como relevante para a memória coletiva da sociedade, além de ter grandes impactos na história e cultura do país em toda a sua diversidade e complexidade. “Diferentemente de arquivos e documentos relacionados com o passado mais antigo de nosso país, o arquivo de Betinho diz muito de uma história recente, permitindo a seu usuário mergulhar em períodos difíceis, e a partir disso melhor compreender o sentido de luta pela cidadania e pela democracia”, explica a Coordenadora do Programa de Arquivos Pessoais do setor de Documentação do CPDOC, Regina da Luz Moreira.
A honra concedida ao arquivo Herbert de Souza vai além de um título. O Programa Memória do Mundo não significa uma espécie de tombamento, mas exige dos proprietários do arquivo que haja um grande compromisso com a preservação e segurança do arquivo. “No caso dos documentos de Betinho, a nominação poderá facilitar ao CPDOC a obtenção de recursos para sua digitalização, com o que não apenas estaríamos complementando de forma mais ampla o acesso e a divulgação, mas também a própria preservação”, diz Regina da Luz Moreira.
No arquivo, é encontrada uma série de documentos não só sobre Betinho, mas também sobre o seu trabalho. A maioria dos itens relacionados diz respeito à época da vida de Betinho a partir de sua experiência no Canadá. O arquivo também se torna mais denso entre 1981 e 1997, período no qual o pai da “Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida” esteve a frente do Ibase. O arquivo Herbert de Souza contém registros da vida e trabalho do sociólogo, retratando em detalhes as suas inquietudes e busca por um mundo mais solidário. O arquivo está disponível para consulta pública e gratuita na Sala de Consulta do Centro, além de poder ser acessado através do Portal CPDOC.

Autor

Martha Moreira

Comentários 3

  1. Elen
    28 de setembro de 2012 Responder

    Ele merece. Trabalhou muito e sempre bem intencionado.

  2. JAIRO ANDRADE
    14 de outubro de 2012 Responder

    SAUDAÇÕES IBASE. DEIXO AQUI MEU HUMILDE AGRADECIMENTO AO TRABALHO DESENVOLVIDO POR TODOS EM CONTINUIDADE AO TRABALHO DESTE NOTÁVEL BRASILEIRO, DESTA PESSOA QUE MERECE O RECONHECIMENTO DE CADA UM DE NÓS COMO EXEMPLO DE AMOR À VIDA. QUE O LEGADO DE BETINHO, QUE JÁ É ETERNO, POSSA SER DEVIDAMENTE COMPREENDIDO EM TODA SUA DIMENSÃO HUMANA. ABRAÇOS E FORÇA PARA A CONSTRUÇÃO DE UM PAÍS MELHOR, MAIS IGUALITÁRIO E JUSTO.

  3. Jose de RIBAmar de Araujo e Silva
    18 de maio de 2013 Responder

    Esta semana, apesar de chegar em Casa moido, depois jornada tripla de professor das 8 as 21:40, assisti na Tv Brasil, na “Semana do proibido”, ” os caminhos da democracia”, um belissimo documentario,, em grande medida narrado pelo Betinho. Pudemos ver como a historia da redemocratizacao do Brasil se confunde com a vida de luta do Betinho. E me alegrei em saber que como Um beija flor no incendio da Floresta, ajudei na construcao do movimento Acao da cidadania no Maranhao…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tradução »