Belo Monte
Crédito: minplanpac/Flickr

Por Ruy Sposati, do Xingu Vivo
Os cerca de cinco mil trabalhadores do Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM), responsável pelas obras da terceira maior hidrelétrica do mundo, entraram em greve geral nesta quinta, 29. As reivindicações são aumento salarial, redução dos intervalos entre as baixadas (visita dos trabalhadores a suas famílias) de 6 pra 3 meses, o não-rebaixamento do pagamento e solução de problemas com a comida e água. A paralisação começou ontem no canteiro de obras do Sítio Pimental, após um acidente de trabalho que matou o operador de motosserra Orlando Rodrigues Lopes, de Altamira, e hoje se estendeu para os demais canteiros. A saída dos ônibus do perímetro urbano de Altamira para os canteiros de obra, em Vitória do Xingu, foram bloqueadas.
“A pauta é a mesma de antigamente: tudo o que está no acordo coletivo. Não cumpriram nada”, explica um dos trabalhadores. Segundo ele, apesar das greves e pressões realizadas que no ano passado, que levaram a empresa a assinar o acordo coletivo, ao invés de melhorar, as condições de trabalho tem piorado.
“No último pagamento cortaram as horas-transporte, o que diminuiu em até 600 reais o salário do peão”, explica. A justificativa para a redução é que trabalhadores estão sendo removidos da cidade para os canteiros, e que por isso não precisarão do adicional. Por conta disso, ao menos 40 trabalhadores que passaram a residir nos alojamentos provisórios dentro dos canteiros já teriam se demitido. “Pra quem vem de fora o salário já não estava bom. Com esses 600 a menos, nem vale a pena ficar”.
O trabalhador morto em acidente, que, segundo operários prestava serviços para o CCBM, era da empresa terceirizada Dandolini e Peper, e estava trabalhando na derrubada de árvores no canteiro Canais e Diques. “Nós não temos segurança nenhuma lá. Falta EPI [equipamento de proteção individual], sinalização e principalmente gente pra fiscalizar”, reclamam os trabalhadores.
Coerção
“A greve ia estourar no começo de março”, relata outro trabalhador. “Foi quando a gente recebeu o salário [no início do mês] que a gente viu que cortaram as horas in itinere”. O pagamento ocorreu numa discoteca local. “Tratam a gente que nem bicho… Ficam 5 mil trabalhadores numa fila enorme, entra de seis em seis [no escritório provisório]. É muito inseguro, eles dão o dinheiro na nossa mão. Conheço três que foram roubados logo que saíram de lá”, explica.
No dia 3 de março, um trabalhador teria sido demitido por ter tentado, sozinho, paralisar o canteiro Belo Monte, o maior da obra. Funcionários relataram que ele foi colocado com violência em um veículo do CCBM e demitido momentos depois.
Perguntados sobre o sindicato, nenhum trabalhador soube responder onde estavam os dirigentes. “O sindicato não veio, não veio ninguém. Mas vamos continuar a greve até a Norte Energia vir aqui”, concluíram os trabalhadores.

Autor

Martha Moreira

Comentários 19

  1. FABIO MARQUES
    8 de abril de 2012 Responder

    Não se radicaliza a democracia de um Estado opressor, corrupto e conivente com essa situação que só se expõe devido à dimensão da obra.

  2. Jáder
    24 de abril de 2012 Responder

    As greves são induzidas por partidos emergentes, em busca de visibilidade política e de obstaculizar qualquer projeto do governo. Vimos como uma parlamentar do RJ estimulava uma greve de PMs na Bahia. Como perderam na Justiça, querem ganhar no grito e na baderna. Até canteiros já incendiaram. Bando de biridúgalos oportunistas! A ong para a qual esse jornalista escreve (autor do texto) está ligada a um partido emergente do sul do país …

  3. edna gomes
    24 de abril de 2012 Responder

    que horro vcs tem que dà salàrios e condiçoes pra os funciònarios.

  4. jorge valtair
    3 de maio de 2012 Responder

    ha grupos de sindicalistas, que politicos, adversario ao governo, usam trabalhadores,para revendicar para satisfazer-lhes,seus intereses, financeiro e politicos estao alem de obras e desenvolmimento,com isso quem perde e o trabalhador
    que e usado, manipulado e no final sao demetidos e rebaixados, e os intereçeiros ficam numa boa, portanto meus amigos trabalhadores nao virem marionetes na mao de corruptos, abandonem essas greves e vao trabalhar, mais vale ganhar pouco, doque nada.

  5. Lucas
    17 de agosto de 2012 Responder

    Texto medilcre e furado, busque melhor suas informações!

  6. jackeanny
    11 de outubro de 2012 Responder

    eita que coisa ruim pessoas assim gervista naum podem estar em um local assim naum pode ter oportunidades nenhuma .

  7. Francisco Pinheiro
    13 de novembro de 2012 Responder

    A reivindicação dos trabalhadores da Usina de Belo Monte é justa. Eu que trabalhei naquela Usina, mais precisamente no sítio de Canais e Diques, agora em setembro último, sou testemunha de quanto é irrisório o salário do empregado. O que não aprovo são as atitudes insensatas de como fizeram o quebra-quebra. Francisco.

  8. Espedito
    20 de novembro de 2012 Responder

    É uma vergonha uma obra desse porte e ter essas falhas de administração. o qual só vem a prejudicar os trabalhadores que sai de seus lares em busca de melhorias para sua familia e se depara com uma obra furada que não tem respeito com os trabalhadores.E até parece que eles não tem familiares para visitar.

  9. norberto oliveira
    7 de abril de 2013 Responder

    meu comentario comotrabalhador da área de barcarena acredito que nos trabalhador temos que convessar mais com os representante da nossa gategoria para ter mais entendimento do assunto de greve tudo é motivo de greve as empresa deve escolher mais funcionarios con nivel mais calificado desculpa mais averde é esa um braço

  10. hElaine cristine
    8 de abril de 2013 Responder

    sou mulher de um dos operarios que trabalha no ccbm, ele saiu de casa iludido com a proposta de trabalhar em belo monte no come

  11. ''''''EDISON OLIVEIRA DO NASCIMENTO
    15 de abril de 2013 Responder

    EU TAMBEM TRABALHEI EM PIMENTAL E FOI DEMITIDO OMILHADO PELA FORÇA NACIONAL RETIRADO DO ALOJAMENTO NO MESMO DIA NAO PAGARAM OS MEUS DIREITOS CORETOS NEM FISERAM ESAME DA MINHA ESSOA SOU CARPINTEIRO AS MIHAS FERAMENTAS DE TRABALHO A CCBM NAO DEIXOU EU TRAZER FICARAM COM ELAS PARA NORTE ENEGIA 15 04 2013

  12. gilmar lima nunes
    8 de maio de 2013 Responder

    Boa tarde , o CCBM está cheio de psicopatas corporativos a Justiça sabe destas humilhações mas segundo eles ninguém fez registro destas ocorrências a quem interessa tudo isso.
    Gilmar lima nunes
    (93)8802-6716

  13. Anônimo
    13 de maio de 2013 Responder

    E A PURA VERDADE

  14. antonio siqueira de castro
    1 de junho de 2013 Responder

    boa tarda. acredito-eu qui todo isso vai ser resolvido. a obra é um um porte muito grande. as empresa vai com certeza. normalizar todo isso.

  15. carlos alberto moraes da silva
    13 de junho de 2013 Responder

    como boa empresa ela tem que manter as regras da construção civil e manter o os seus fucionários seguro. acredito eu que todos foram bem treinados para ocupar os devidos cargos mas sabemos que ném todos que ali estão não tão enteressado em trabalhar mas sim em fazer vandalism. tenho 31 anos já trabalhei na camargo correa em porto velho e já conheço como funciona trabalhar com pião eles são muito ouzado queria eu ter a oportunidade de ir pra essa obra de belo monte!

  16. carlos alberto moraes da silva
    13 de junho de 2013 Responder

    como boa empresa ela tem que manter as regras da construção civil e manter os seus fucionários seguro. acredito eu que todos foram bem treinados para ocupar os devidos cargos mas sabemos que ném todos que ali estão não tão enteressado em trabalhar mas sim em fazer vandalismo tenho 31 anos já trabalhei na camargo correa em porto velho e já conheço como funciona trabalhar com pião, eles são muito ouzados queria eu ter a oportunidade de ir pra essa obra de belo monte!

  17. claudio alcantara
    20 de setembro de 2013 Responder

    muito legal essa obra so falta ter admimistracao

  18. leideane de jesus
    15 de outubro de 2013 Responder

    Vamos trata os trabalhadors com valor porque sem eles a obra nao vai pra frete jesus amaa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tradução »