Notícias

Pinheirinho recebe apoio nacional e internacional

texto originalmente publicado no Brasil de Fato


Brasileiros protestam na Alemanha contra repressão no Pinheirinho
Foto: Isaumir Nascimento/Divulgação


As manifestações de apoio e solidariedade aos moradores da ocupação Pinheirinho, em São José dos Campos, se espalharam por todo o país e chegaram até a outros países. Desde a desocupação violenta da área promovida pela Polícia Militar (PM) no último dia 22, movimentos sociais, estudantis e sindicais promoveram diversos atos em repúdio à ação.
As manifestações buscam denunciar a conduta dos governos estadual e municipal do PSDB que ordenaram de forma ilegal o despejo das 1,6 mil famílias da ocupação Pinheirinho.
Já foram realizados atos em Belo Horizonte (MG), Bragança Paulista (SP), Brasília (DF), Camaçari (BA), Campinas (SP), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ), Boa Vista (RR), São José dos Campos (SP) e São Paulo (SP).
Na segunda-feira (30), durante uma visita da presidenta Dilma Rousseff à cidade de Camaçari, na Bahia, foi realizado um protesto por militantes do PSTU. O objetivo foi denunciar “o massacre organizado pelo PSDB aos moradores do Pinheirinho e a omissão do governo Dilma”, conforme nota do partido.
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin também foi recebido por protestos em uma visita à cidade de Bragança Paulista, no interior do estado. Alckmin, que foi receber o título de cidadão bragantino na Prefeitura Municipal, estava cercado de seguranças e da Polícia Militar e de Guardas Municipais, que impediram a entrada dos manifestantes no local.
Nesta quinta-feira (02), ocorre um ato nacional em São José dos Campos, com cerca de 4 mil pessoas de vários estados, integrante de movimentos sociais e estudantis, de centrais sindicais e de partidos políticos.
Apoio internacional
Também foram realizados protestos de repúdio à violência contra os moradores do Pinheirinho em diversos países. As manifestações fora do Brasil também pedem a desapropriação do terreno de onde as famílias foram expulsas para que possam retornar para a área que habitam desde 2004.
De acordo com a Conlutas, ocorreram protestos na Alemanha, Argentina, Costa Rica, El Salvador, Escócia, Espanha, Estados Unidos, França, Haiti, Honduras, Inglaterra, Irlanda, Italia, Japão, Paraguai, Portugal, Rússia, Ucrania e Venezuela.
Na Alemanha, um grupo de manifestantes brasileiros protestou na última terça-feira (31) em frente à embaixada do Brasil em Berlim, capital da Alemanha. Eles ergueram uma faixa com a frase “Wir sind alle Pinheirinho” (“Somos todos Pinheirinho”).

Autor

Martha Moreira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tradução »